segunda-feira, maio 08, 2006




Apesar de merecermos um primeiro lugar na liga, parece-me que o segundo foi alcançado com muito jogo nosso. Demonstramos ter um sentido muito forte de equipa e mostramos o que é o nosso lema, Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Nem sequer as falcatruas da arbitragem nos impediram de atingir um dos nosso objectivos.
O meu bem-haja para o Sporting, Paulo Bento, Moutinho, Liedson, Pinilla e Sá Pinto, vá e Ricardo também.

sexta-feira, maio 05, 2006

Nao quero, obrigado. Ja tenho...

Não sei por que razão mas de há uns anos a esta parte tenho sido frequentemente incomodado com abordagens referentes a droga.
Não sei se é por ser um gajo magro ou se tenho mesmo ar de drÓgado.
Há já uns aninhos que vou ao bairro beber uns copos, e não há noite nenhuma em que um mitralhoco ou um individuo de etnia cigana me aborda.
Normalmente é dito entredentes e muito baixo "Primo, chamon, Queres chamon?" ao que eu respondo, "epá, não obrigado!". Tambem, por vezes digo que ja tenho para n me chatearem mais.

Ontem foi a mesma treta: "Jovem, coca. Queres coca! Faço bons preços!"
Coca?? Bons preços??

Pensei, pronto, chegamos aos saldos!! O fim de ano já passou, aproximam-se os exames, enquanto não vem mais produto vende-se o que há a preços mais baratos!

o que tem mais piada é que não perguntam só se quero comprar. Tambem já apanhei umas pessoas a perguntarem se eu vendia.

Mau!! Já n basta o ar de carocho, agora também ar de traficante??!!

Mas os que querem comprar têm sempre um ar mais envergonhado.

A vez que achei mais curiosa, foi um Zé a perguntar como é que se ia para o Lux do bairro! "Epá apanhas o barco!!" "Haaa é q eu n sou de cá e tal", no meio da conversa larga a sua perguntinha " E coca?? Não tens coca?"
"Não, eu é mais jolas..."
"Sabes onde é que posso comprar?"

E pronto, de traficante passei a posto de informação turistica!

Lembro-me particularmente de outro episódio, ao pé do Largo do Carmo em que fomos abordados por um individuo sinistro que nos perguntou se queriamos comprar uma arma.

"Não, obrigado. Já temos!!"