segunda-feira, outubro 30, 2006

Conversas II

Dizia eu a um amigo:

-Epá...não sei bem o nome dela...é estranho, ou tem nome de fada ou de pedra preciosa.
-Jade!
-Não...
-Rubi?
-Epá, também não.

Depois de umas quantas falhadas (porque efectivamente tinha nome de fada) o meu interlocutor faz uma pausa e diz:
-E eu que sabia o nome de todas as pedrinhas preciosas...

Eh lááá!!!

Conversas I

Diziam-me há uns dias:

-O Mel Gibson já realizou o novo filme dele.
-Como se chama? -perguntei.
-Apocalyptico. É sobre os Mayas e é todo falado na lingua por eles usada.
-O português queirosiano?

quinta-feira, outubro 26, 2006

Chuvaaaaa!




Em tempos de Inverno, chuva e temporais, é frequente ouvir pessoas a dizer coisas do género "Haaaa é tão bom estar dentro de casa e ver e ouvir a chuva a cair, com um chá quente nas mãos e biscoitos feitos em casa...", q romântico...!
Bom, eu também já disse isto.
É verdade, é bom estar em casa, bem melhor do que estar lá fora a apanhar com a chuva na moina.
Será que as pessoas dizem isto porque realmente acreditam que é verdade ou será que não é mais do que uma tentativa de encontrarem uma desculpa para se sentirem bem no Inverno, já que não dá para ir à praia, mergulhar nas ondas do Atlântico (ou um outro qualquer oceano) e aproveitar o Rei Sol?

terça-feira, outubro 24, 2006

Duche e meio





Hoje tomei banho e meio. Não recomendo pelo desperdício de água que isso acarreta mas quem quiser experimentar aqui vai a receita:

  • Ponha o corpo de molho
  • Abra o frasco do shampoo
  • Pegue num bocadinho de shampoo e espalhe pelo corpo
  • Tire com água
  • Ponha a mão na cabeça e verifique-se que o shampoo não foi para o cabelo mas sim para o corpo
  • Arrependa-se
  • Abra de novo o frasco do shampoo e desta vez ponha-o no cabelo, massage bem e tire com água
  • Abra o gel de banho e use-o no corpo
  • Junte água
  • Saia do duche com a sensação que a causa ou foi sono ou senilidade

quinta-feira, outubro 19, 2006

Coc'à costa



Mas por que raio é que a Polícia Marítima, a PSP e a Polícia Judiciária se hão-de estar a chatear a trabalhar?
Não precisam!!

Se fardos de cocaína pura vão dar à costa porque é que havemos de estar a gastar meios com investigações?
Não vale a pena!!

Ver aqui

segunda-feira, outubro 16, 2006

Liberdade Ilusoria


Às vezes penso se seremos realmente livres, se não estaremos presos ao consumo, à ditadura das marcas e dos produtos, da publicidade e do marketing. De vez em quando tenho ataques de anti-marketing, anti-globalização. Como ainda não tomei a decisão de me tornar um ermita que usa a mesma roupa há 10 anos e que não consome nada que seja proveniente de grandes multinacionais, sirvo-me deste buraco para gritar.

"Mama mama papa papa/bebe bebe/fuma fuma/toma toma/chupa chupa/upa upa/come/ Mata a fome, consome consome" Reporter Estrábico in Mamapapa

Irrita-me estar a ver televisão e quando menos espero, sem o mínimo de avisos, sou bombardeado com produtos maravilhosos que prometem tornar a vida mais agradável e outros que não fazem nada disto mas mal também não fazem.
"E se não tem dinheiro para se encharcar em merdas que não precisa, telefone para o 800 20 14 14 e ser-lhe-à dado um crédito até € 5.000 que poderá pagar em prestações até ao resto da sua triste e miserável vida."

Não há quase lugar nenhum numa cidade que não tenha uma marca ou logotipo a olhar para nós a lembrar-nos que podemos sempre comprar qualquer coisa.

Até a net que servia muitas vezes para nos transportar para um mundo virtual, se tornou o habitat perfeito para os virus do consumo. Mais, aqui ainda é menos honesta porque basta darmos o nosso endereço electrónico para qualquer site implica recebermos emails sobre todas as novidades relativas aos produtos que gentilmente nos permitem adquirir. E o pior é quando damos o mail apenas para sermos contactados relativamente a um assunto particular e nos enviam regularmente mails para as novidades dos produtos, informação essa que não solicitamos.

E os telemóveis? Até estes são veículo para que as operadoras telefónicas nos enviem mensagens sobre o toque shakira e jogo "pó raio que ta parta" que só custa €2 mais download.

Ou seja qualquer meio que utilizemos para comunicação está completamente aberto a estes ataques não solicitados.

Como disse no inicio, eu não sou um hippie que não compra nada que venha de multinacionais, bem pelo contrário, mas quando compro alguma coisa quero que seja eu próprio a escolher o que é e quando é. Uma escolha livre e ponderada.

É assim que deveria ser o consumo.

quarta-feira, outubro 11, 2006

Poluiçao Social

Segunda-feira passada (dá para ver o atraso dos posts) fui a um almoço. É um restaurante ao qual ia mais frequentemente o ano passado do que agora. É um restaurante relativamente pequeno e que, dado estar perto de uma zona de Lisboa fértil em escritórios, convém fazer marcação da mesa. Liguei de manhã, mesa para as 13h, perfeito.

Chego ao restaurante e estava cheio. Uma festa de anos com os amiguinhos do banco...
Vejo que estavam duas senhoras à porta que não andavam nem desandavam. Como tinha reserva avancei ao balcão para dizer que já tinha chegado.

No momento em que o empregado me diz que a mesa estará pronta em dois minutos, reparo que os olhos dele miram noutra direcção e diz "Não, minhas senhoras, este senhor tem reserva".
Olho para trás e reparo que aquelas duas senhoras vieram barafustar porque acharam que eu ia passar à frente.
O "pedimos desculpa" não me fez deixar de pensar que deve ser normal alguém entrar num restaurante (ou em qualquer outro local) e passar à frente daqueles que estão numa fila.

É pena que o primeiro pensamento, aquele reflexo, já não seja "haa tem reserva" mas sim "olham'este a passar-nos à frente".