sexta-feira, dezembro 17, 2010

quinta-feira, março 18, 2010

Vício

Tudo começou como uma brincadeira. Uma amiga disse-me "Experimenta! Não custa nada! Vais ver que vais gostar!". Achei inocente. Que mal podia fazer? Era só por um bocadinho, era só às vezes.

Entrei naquele mundo devagarinho, pé ante pé sem saber o que esperar. Vieram mais e mais amigos. Comecei a rever pessoas que achava ter perdido e foi isso que me cativou.

Amigos de Erasmus, amigos do outro lado do mundo, ex-namoradas e ex-casos. Parecia que toda a gente ali estava.

E começaram as discussões! "Não me convidas!!", "Quem é aquela?", "Que raio de comentário é aquele?" A inocência afinal era ilusória e não era tão inócuo como eu pensei.

Mas não deixei de usar. Continuei, "às vezes é tão giro"- pensava.

Entraram os jogos. A frequência aumentava. Todos os dias mais um bocadinho. Que mal tem? Eu podia sempre parar, eu estou em controlo, os clássicos clichés.

E quando dei por mim era a primeira coisa que fazia de manhã. E à tarde. E antes de me deitar.

Conhecia mais e mais pessoas. Todas ali, somos todos amigos.

Pior foi quando comprei um telemóvel que me permitia um acesso mais facilitado. A partir daí era em todo lado. Tinha perdido a vergonha. Já não queria saber. Era em consultórios de médicos, em supermercados, em casa de amigos e em casa dos meus pais... até no tribunal!!

Ontem à noite abusei da dose... Fiquei até adormecer a consumir e a ver fotografias. Sonhei e pesadelei com aquilo. Sonhei que estava com aquelas pessoas em muitos sitios e percebi que tinha abusado.

O meu nome é Miguel e estou viciado no Facebook!

sábado, janeiro 02, 2010

Encontros e desencontros

Uma pessoa muito sábia disse-me em tempos: "A vida é feita de encontros e desencontros"!

Na altura e como é meu apanágio, entrou o conselho mas sem a devida assimilação!

Reportar-se-ia aos ocasos da vida! Aos momentos ímpares que nos assolam!

Todavia, é muito mais! São os segundos que moldam as decisões que tomamos! Os sim's, os vou's e os talvez. Os enganos que o subconsciente nos obriga a fazer!

Um atraso de um minuto, a escolha por uma carruagem diferente, a opção de ir fazer aquela ultima compra naquele sítio aquela hora...

O vou falar e o tenho vergonha! O sorriso ou a cara fechada. O piscar de olhos ou o esgar indiferente!

São momentos que apenas na nossa mente pensamos poder controlar. É uma complexidade de nano-forças que se unem para que algo aconteça!

E em menos de um minuto tanto pode acontecer o mundo como desabar o solo dos nossos pés!